Aparecida Ramos -  Prosa e Verso
Apenas palavras que a alma e o coração não calam.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos



Resultado de imagem para carta para jimmy
Olá, Jimmy!
Não ouso contar
nem às flores o que sinto agora. Seria desastroso para o jardim. Certamente os botões seriam afetados e seus
aromas retardariam. Os Colibris não iriam me perdoar.
 
        
     Tão suave quanto o desabrochar dos botões das rosas de todas as cores, é o despertar dessa manhã de Outono.

        Há um toque de saudade pousando sobre os livros que, juntos lemos durante os dias de inverno, quando sair sozinhos era altamente proibido.      Durante muito tempo, parecia haver um “lembrete” em cada canto da casa, uma espécie de linguagem visual como nas placas de Trânsito. Era essa a atmosfera sob os olhares "carrancudos" por baixo das grossas lentes, de meu pai.
           Lembra como eu me apoiava em teu ombro, com as mãos trêmulas e o coração acelerado no início daquelas noites sombrias, quando o canto daquela velha Coruja invadia o pomar?
         O tempo passou. Muita coisa mudou. Nós crescemos e decidimos encarar com um pouco de leveza os “argumentos” proibitivos de meu pai, transformando alguns em divertidas paródias a nosso favor (rs).
           Sabe, Jimmy, escrevo para lembrar que a nossa primeira viagem de férias será nesse fim de semana.  Quero que saibas que tive o cuidado de ver outro itinerário, embora, no mesmo trem parador. Naquelas paragens frias há toda uma mística a nos "envolver", a nos transmitir boas energias, além de muita inspiração. Ah, lembre-se de colocar na mochila meu casaco de tricô, que deixei sobre a escrivaninha, no dia de teu aniversário.

         O final de semana que se aproxima será um dos mais lindos. Serão as primeiras 48 horas livres de trabalho, de estudo rigoroso e do piado da velha Coruja. 48 horas a princípio, longe das sombras daquelas proibições em linguagens verbais e visuais que ainda e apesar do tempo, ressuscitam algumas lembranças uma vez ou outra.
         Querido Jimmy, enquanto escrevo, a noite avança, já é tarde. Preciso descansar. Amanhã terei que começar a organizar os preparativos para a nossa viagem. Sei que não vou conseguir dormir normalmente. A travessia noturna é longa principalmente quando estamos insones. Quando você acordar, de manhã, lembre-se que também já estarei de pé.

        O velho relógio na parede da sala de estar, bateu 00:00h. O frio é convidativo.  Pensemos em nós! 
          Ah, não esqueça: Eu ainda sou a mesma garota, só que te amando mais que antes.
                                                                                                  Grande beijo.
                                                                                                               Ísis


      


 
Ísis Dumont
Enviado por Ísis Dumont em 26/04/2017
Alterado em 02/05/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras