Ísis Dumont -  Prosa e Verso
Apenas palavras que a alma e o coração não calam.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Perfil

Só um pouco de mim
 
Alguém movida pelo maior dos sentimentos... o amor!
Alguém capaz de, se preciso for, ir ao encontro da outra pessoa, ainda que esta tenha lhe ferido, para estender-lhe a mão.
Um ser humano cheio de imperfeições, mas imbuído de um propósito maior: conhecer-se cada vez mais, para, assim poder conhecer um pouco mais os outros, compreendê-los e amá-los sempre mais.

Se não for para crescermos juntos, mantenha distância.
Vida medíocre não faz sentido, portanto, não me interessa.
Estender a mão a quem realmente precisa é gesto de humanidade.
Perdoar a quem nos ofende é caridade mútua: para quem o recebe e para quem perdoa. Para mim, sem dificuldade. As ofensas doem, causam certa raiva, mas tudo é passageiro. 
Bom mesmo é perdoar... sentir-se leve e ser feliz, independente dos momentos que virão, com outras necessidades de perdão.
E, dentro dos enganos, falhas e erros que também cometo, espero ser, possivelmente, compreendida e perdoada.

Que meus maiores gestos não sejam por mim, mas em prol daqueles que estão comigo, ou que de mim se aproximem, ou desses venham precisar.
(...) Talvez eu continue ainda estas palavras.
Um beijo.

“Não devemos ter medo de nos confrontarmos… até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas”.
– Charles Chaplin –

 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras