Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos




Saudade, versos e vinho



 
Repentinamente
Como um pé de vento
Sacudindo minha mente
Comecei a sentir saudade
Saudade do calor
De tuas mãos
Nas minhas
Saudade do vinho
Tragado vagarosamente
Para que o tempo
Também fosse lento
Saudade do hálito
Do gosto que não senti.
 
Toquei com meus dedos
Roxos de frio,
Uma taça (sobre a mesa)
De repente
Ouvi teus sussurros
Em meu ouvido
Nada mais fazia falta
A saudade retirou-se
E dormiu...
na poltrona
quando você chegou.

************************
 

 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 15/06/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras