Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

images?q=tbn:ANd9GcRLDxN_Fz8JAYAdaOpdJSIeeuYHq7w_qbpwaX67U8imV5tjmWmn
Distante
 
Da varanda, antes do pôr do sol, dar para
ouvir o piado de um pássaro triste...
Saudades do calor do ninho,
Do vento que outr'ora lhe fazia afagos
Agora distante, mergulhado em outro caminho.

Incrível como os dias passam,
E com o passar do tempo,
Muitas lembranças criam raízes,jamais
apagarão da memória, enquanto outras...
"Desagradáveis" se esvaem,
Somem numa nuvem de fumaça...
Persiste o canto do rouxinol, triste,
Distante, sem poesia, perdeu a graça.

O silêncio atravessa a fresta do telhado
E cobre as digitais ainda
Visíveis sobre a mesa e outros móveis.
A noite chegou, sacudiu as folhagens,
Mais tarde, lágrimas desceram, cobrindo
A face rubra...

A madrugada sufocou a voz dos pensamentos,
Para reescrever na memória
As lembranças excedentes,
Enquanto os últimos raios da lua
 Prateavam o céu da cidade
Tateando às escuras, no vazio
preenchido apenas por essa...
Saudade.
*********
****
***
*
Ísis Dumont


 


.
 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 11/05/2014
Alterado em 13/05/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras