Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


images?q=tbn:ANd9GcSJukeiZtupt3rG7P7gOwCtS_2lRwAsHxRIQsS-wAqqCptRczQ

Sangrando
 

Sangrando estão as
                       palavras esquecidas

                       Os sentimentos que não tocaram
                       A voz nunca ouvida
 De alguém se entregando
 
 À vida

 
Sangrando está o  
                     peito ferido, amargo, salgado

                                      rasgado,  dilacerado,
                      Coração angustiado, atrofiado, aguardando
                                                          A noite trazer sorte
Através da lua, das estrelas, da própria morte
 
Sangrando está a
                      alma, sem força, mal dormida

                      A canção que ouvidos não ouviram
Nem o coração compreendeu
                       A  melodia desenhada pelo tempo
Tragando a vida que alguém não viveu
                        A história sem memória
Porque ninguém escreveu
Deixando um vácuo no caminho,
sem marcas, sem margens, sem lembranças

Sangrando está o
silêncio sisudo, absurdo, lacrado
no vazio das horas intermináveis
sem perguntas, cheio de respostas

                     O aborto premeditado, não abortado
                     O fundo mais profundo que ninguém alcançou
                     Beijo rejeitado
                     Olhar desviado
                     Sorriso desbotado                    
                     A vida sem cor
                     Grito que não ecoou



Ísis 
 
Ísis Dumont
Enviado por Ísis Dumont em 10/12/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras