Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


Dorme um verso
 
 
De costas para a colina
Dorme um verso,enquanto
Aguarda a próxima estação,
Ainda incompleto,
Fragmento,
Espécie remanescente
Do último verão.
 
Antes, desejava
Ser recitado,
Orgulhoso,
Ria sozinho, só de pensar
Em ser aplaudido pelas crianças e
 namorados, no sarau
lá da praça,

Hoje dorme igual recém nascido
Após ser alimentado ao seio,
Em noite de frio.
 
Próximo ao mosteiro da colina,
Dorme um verso,
Embalado pelo som
Gregoriano,
O dia nasce
Volta a morrer,
A lua vem, majestosa,
Cor de prata,
Vigia o sono do verso.
Estúpido!
Cego!
Não percebe a poesia incompleta,
trazida no bico do beija flor,
rondando à beira de
sua cama!

Isis


 
 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 27/10/2013
Alterado em 27/10/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras