Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos





 
AZEITE E VINHO



Meus caminhos mais secretos e
Minhas pedras revestidas de musgos
Não são segredos para ele...
Conhece também meus pesadelos noturnos,
E já escalou as paredes mais íngremes do
Edifício de minha alma e alimentou-se do sal de
Minhas cordas marinhas...
Ele já provou do mel e do fel que escorre através
Dos dedos indicadores dos meus versos
Mais apaixonados e impiedosos, costurados nas
Divagações das minhas madrugadas.
No entanto, muitas vezes...
Somos azeite e vinho
Cada um em sua nau,
Em diferentes universos,
A flutuar sob o risco
De um naufrágio...
Nas águas turbulentas
De um oceano particular
Chamado solidão...


Isis Dumont
Um dia li Roseana Murray e inspirei-me em "Azeite e Vinho".
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 30/11/2012
Alterado em 06/02/2015
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras