Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

PAZ
00017.jpg


Paz é o sorriso puro
Do bebê que dorme sonhando,
É o beija flor que saltita
Coreografias desenhando.

Paz é o olhar da lua
Sentinela dos namorados,
É o gosto de ser tua
Hoje e também no passado.

É a brisa refrescante
Que acaricia minha face,
É a fisionomia tranquila
De quem não usa disfarce.

É a luz do vagalume
Piscando na escuridão,
É o amor sem ciúme
Que prende meu coração.

Paz é o sol nascendo
É o grilo que faz cri, cri,
Paz é o teu despertar
Quando estou perto de ti.

Paz é o regato manso
Que desliza sobre a areia,
É o amor que nos une
Como sangue em nossas veias.


Simplesmente:
Isis Dumont
(numa tarde qualquer do outono de 1975)
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 17/10/2011
Alterado em 24/12/2011
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras