Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


Beijo pouco, falo menos ainda.
Mas invento palavras
Que traduzem a ternura mais funda
E mais cotidiana.
Manuel Bandeira
Vocês (poetas) me fascinam, me elevam, me encantam, me fazem apaixonada!!
Espaço para dois Poetas

Você até pode achar estranho o título acima, no entanto, vou explicar. Sabendo que estou em falta com esses dois nobres poetas/escritores, mais por indisponibilidade de tempo apesar do "momento", decidi prestar-lhes essa singela homenagem conjuntamente. Acredito que nenhum dos dois ficará chateado. Mas "cá entre nós" eles devem estar achando bastante estranho esse meu silêncio rs. Oxalá não vejam como indiferença, jamais.

ARTEmanhas - Manias Poéticas
O mais recente trabalho publicado,

20200705_182013.jpg
... representa mais uma entre outras obras igualmente relevantes do querido mestre poeta potiguar Dilson Ferreira, meu vizinho de Capital, ou dilsonpoeta como a grande maioria de nós já conhece há bastante tempo.
Quando estive em Natal/RN, no final de dezembro/2019 conheci o mestre pessoalmente em sua residência. Na oportunidade me senti carinhosamente acolhida por sua simpatia, por seu sorriso e gentileza! Ele também me presenteou, durante a visita, com mais uma de suas obras, porque já havia enviado outro pelos Correios. Sobre esses já tenho uma publicação.
Nem preciso afirmar que Dilson dispensa comentários!!
Nesse, ele usou e abusou da gentileza publicando uns singelos versinhos que escrevi outro dia sobre sua arte...  Um afago na face de minha alma, que adorei!!!

20200706_203441.jpg
Encontra-se na página 5.
Lendo-te e adorando a ternura, a emoção, o bom humor e a sapiência de sua arte!

20200704_201446.jpg

Gratidão! Gratidão! Gratidão, Dilson!!
Deus o abençoe e o livre de todo mal!
 
Sortuda sim, senhor, eu sou! Do nobre escritor/Sonetista Fernando Cunha Lima, no "Encontro de poetas/poetisas, realizado em setembro/2016, sobre o qual, à época publiquei aqui; ganhei esse livro de presente.
20200705_182629.jpg
Uma verdadeira maravilha em Sonetos, com a marca do brilhantismo e da elegância desse exímio escritor e poeta, detentor de outros tantos adjetivos, entre esses o de médico pediatra.
Jornal A UNIÃO by Jornal A União - issuu
Imagem captada de uma página no Google.

Fernando, meu conterrâneo,  já contabilizou em seu Acervo Recantista a soma de 8888 Sonetos. Ele merece sim nossa apreciação, admiração e aplausos verdadeiros!!!
Há alguns dias estive visitando sua escrivaninha e, ao me retribuir gentilmente, Fernando me presenteou com esse belo Soneto, em forma de comentário na postagem abaixo. Como se trata de uma publicação anterior, para dar mais visibilidade à sua arte poética achei por bem trazê-lo para cá e postar apresentando o presente que dele recebi com muito carinho e alegria. Muito grata querido poeta!!
Sua marca de "Rei dos Sonetos" ninguém apaga! Seus Sonetos são verdadeiras pérolas, os quais tenho o prazer de ler e reler tantas vezes, e sempre me encantar e emocionar!

20200705_163329.jpg

MIMO DO "REI DOS SONETOS" fcunhalima

DESDITA DE UM SONHO ESTRELAR

Um certo acendedor de lampiões,
Sonhou também em acender estrelas,
Por não poder tocá-las e apenas vê-las,
Aquietou-se em suas decisões.

O céu não aceitou estas sanções,
De estrelas apagadas, por perdê-las,
Tentou por conta própria acendê-las,
Impondo ao acendedor as condições.

Que ele teria de agora em diante,
Deixar a noite sempre mais brilhante,
Não usando porém nenhum ardil.

E como prêmio dentro de um açoite,
A cada hora que chegasse à noite,
Em vez de uma, se acendiam mil.

Fernando cunha lima
20-06-2020.


182183-mini.jpg?v=1466120278
22/06/2020 20:10 - fcunha lima
Aparecida, claro que lembro da alegria de te oferecer um livro, pois o livro parece saber em que mãos repousa e em sendo assim em tuas mãos de poeta ele se encantará muito bem. Para te agradecer segue este soneto feito quase hoje. bjs. fernando cunha lima.=DESDITA DE UM SONHO ESTRELAR //////Um certo acendedor de lampiões,////////Sonhou também em acender estrelas,/////Por não poder tocá-las e apenas vê-las,/Aquietou-se em suas decisões./////////////O céu não aceitou estas sanções,//////De estrelas apagadas, por perdê-las,//Tentou por conta própria acendê-las,//Impondo ao acendedor as condições.///////////Que ele teria de agora em diante,/////Deixar a noite sempre mais brilhante,/Não usando porém nenhum ardil.////////////////E como prêmio dentro de um açoite,///A cada hora que chegasse à noite,////Em vez de uma, se acendiam mil.////////////Fernando cunha lima 20-06-2020.
Para o texto: DAS ESTRELAS QUE CONTAMOS (T6954437)

152084-mini.jpg?v=1387128135
MUITO BELA CELEBRAÇÃO
AOS POETAS RECANTISTAS
A ELES ETERNA GRATIDÃO
SÃO DOIS ÓTIMOS SONETISTAS
E VOCÊ POETISA QUERIDA
MERECE TAMBÉM PELAS POESIAS
DE TODOS É SEMPRE AMIGA
NOS DANDO MUITAS ALEGRIAS.


Oh, querida amiga Norma, que surpresa linda!! És maravilhosa, admirável, adorável!!
Minha gratidão, meu carinho e meu amor!!

 
 
Aparecida Ramos, FERNANDO CUNHA LIMA e DILSON FERREIRA
Enviado por Aparecida Ramos em 05/07/2020
Alterado em 28/07/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras