Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

Imagem relacionada
QUANDO ELE CHEGA


Nele não há excesso, mas
tão somente o necessário

igual o bálsamo e a dor,
assim feito o dedo e a aliança,
a mão e a luva, a brisa e o calor
ou a fome e a esperança.

Ele é puro deslumbramento

se erguendo junto à penumbra
que escorre na janela do pôr do Sol.
É notável feito a Estrela-Guia,
e esplendoroso igual o amanhecer.

Tem cheiro de terra borrifada
sob os pingos apressados

da chuva vespertina.
E sabor licoroso degustado pelo

velho e bom enófilo.
É o espaço entre o riso da mãe e o choro
do filhinho recém nascido.

 
Ele surge junto à catraca no ônibus,
na fila do cinema ou na estação.
Chega também no fim da tarde
quando o trabalho permite uma pausa
ou no campo junto ao cheiro do mato
e a cantiga das águas do ribeirinho.

 
Ele é suave feito pétalas de rosas,
e, às vezes seu aroma de sal do suor
se mistura ao perfume dos jasmins.
Seja pleno de encantamento e ternura, 
ou se contorcendo pelas dores do mundo,
é um vulcão em erupção
destilando labaredas pelos cantos da boca

ou esmaecido sobre a cama,
delirando de amor e perguntando
ao espelho se está tudo bem.
********
Imagens do Google.com

www.isisdumont.prosaeverso.net

Imagem relacionada


 
Ísis Dumont
Enviado por Ísis Dumont em 30/07/2019
Alterado em 30/07/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras