Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


Resultado de imagem para casa misteriosa muro
Aonde vais?
      O antigo relógio de parede nunca falhou no tempo. Cadernos, diários, páginas rabiscadas estão sobre a mesa da sala. A única cadeira fora do lugar ainda está levemente aquecida, lembrando que alguém esteve ali. O abajur à meia luz, provavelmente, para deixar o ambiente mais aconchegante. A garrafa de café, a bandeja de prata, xícaras de porcelana permanecem na mais "perfeita" ordem, emitindo sinal de que, sequer foram tocadas. A tevê ligada, com volume baixo, exibe um filme romântico, desses de "tirar o fôlego".  O telefone celular está sobre o tapete do quarto, descarregado. Há correspondências  acumuladas há vários dias, na caixa dos correios. Aromas de madressilvas e gardênias invadem todos os espaços. Uma página arrancada de um antigo diário contém um bilhete... Um recado sucinto, mas de grande significado.
      A porta da frente está entreaberta. Na parte interna do muro à direita há uma frase, em letras garrafais, que diz o seguinte:
"O lugar aonde pensas que vais não vos permite voltar atrás."
     
O relógio bateu 18:00h.  Nesse momento ouve-se o piado triste da coruja, inquilina solitária há mais de dois anos, do velho abacateiro.
************************************
      
 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 11/02/2018
Alterado em 11/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras