Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

12308267_944192222322299_1766256549116990000_n.jpg?oh=5268a3e6f4af6b466632ed7f71a4eadb&oe=56DAED9A&__gda__=1458634433_74bbbb1aeea5b2d82d1abe0bcb0bb364


Por um momento 
 

Por um momento, um breve espaço de tempo, não mais que isso. Entrou na sala, ofegante, coração acelerado, mente cansada, cheia de um dia fatigante. Jogou a bolsa no sofá, despiu-se do blaize, soltou os cabelos, largou os sapatos ali mesmo, ligou o som e se pôs a ouvir a canção que um dia embalou alguns dos seus melhores sonhos. Foi até a cozinha, pegou um café, e junto à janela, seu olhar perdido vagava entre as nuvens... Tentava reencontrar uma daquelas figuras que descobria e admirava quando era criança. De repente, um toque da campainha lhe fez despertar, uma chamada para a vida... Percebeu que seu mundo real era outro. Na vitrola a música ainda se repetia... Seus olhos cansados da lida, não cabiam as lágrimas. Foi ver quem havia chegado. Uma criança maltrapilha lhe pedia um pouco de pão. Sentiu que seu coração, apesar do tempo, ainda podia acolher quem dele precisasse. Logo o relógio avisou: 18:00hs. Os botões de damas-da-noite começaram a eclodir em sua janela. A lua surgiu radiosa, pronta para iluminar e inspirar... Apesar dos percalços, percebeu que há muito tempo não via uma noite tão bela! Nas folhagens do abacateiro um leve rufar de asas voltara a quebrar o silêncio. Ali, somente a lua e as damas-da-noite testemunhavam os suspiros do seu coração.
*******************************************************


isisdumontprosaeverso.net

https://www.facebook.com/%C3%8Dsis-Dumont-Prosa-ePoesia-624275060980685/?ref=hl
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 03/12/2015
Alterado em 22/08/2017
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras