Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


gelo.jpg

Frieza
 

O que será que ocorre com determinadas pessoas, as quais não conseguem se comover com a dor alheia? O que será que corre nas veias de quem não demonstra sensibilidade, nenhuma emoção diante da dor da perda de pessoas, com as quais não podem negar que tem laços de sangue? Até sabemos que laços de sangue não significam muito se não existe mlaços afetivos. Mas..., por que não existiriam? Há quem justifique essa 'falta', o que não é o caso aqui nesse meu raciocínio.
Fico impressionada e lamento muito por conhecer esse 'lado' de alguém que deveria apresentar outra 'reação' quando outros apenas precisam de nossa solidariedade.
O mundo de cada um é diferente... Muitos possuem alma nobre, grande, valiosa; outros, entretanto, limitam-se em seu 'mundinho' como se a vida lhes pertencesse e nunca tivesse fim aqui neste plano. Talvez, pessoas com esse 'perfil' não consigam enxergar o colorido da vida, não consigam ouvir os sons agradáveis que embalam nossos sonhos e acalentam nossos sono. Talvez só aprenderam a caminhar pelas mesmas trilhas e estradas, habituaram-se com as mesmas paisagens porque não conseguem diferenciar o 'verde' do cinza. Acomodaram-se em um mundo pequeno e adaptaram-se à própria realidade que, infelizmente não enxergam, não visualizam nenhuma necessidade de mudança.
**************************
************
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 01/11/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras