Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

 
Próximos, mas separados
('analogia')

 



O autor Jostein Gaarder (no Livro O Mundo de Sofia) faz uma analogia (bastante interessante) entre Sócrates e Jesus Cristo.

No ano 399 a.C., uma maioria apertada de um júri de cinquenta membros condenou Sócrates por 'induzir o culto a novos deuses' e 'conduzir os jovens ao mau caminho'.

Sócrates bem poderia ter abandonado a cidade (Atenas/Grécia) ou ter implorado clemência, e assim teriam poupado sua vida. Mas se isso tivesse acontecido, Sócrates não seria Sócrates. Para ele, sua consciência e sua verdade - estavam acima de sua própria vida.
Sócrates garantia que tudo que fizera tinha como objetivo o bem do Estado.

Algum tempo depois, cercado por seus amigos mais íntimos, bebeu um cálice cheio de veneno e morreu.
Por que Sócrates teve que morrer? Essa pergunta tem sido repetida aos homens por mais de dois mil e quatrocentos anos. 

Sócrates não foi o único a pagar com a própria vida o preço das ideias que defendia. 

Entre ele e Jesus, há muitas semelhanças. Os dois eram considerados como pessoas enigmáticas pelos seus contemporâneos. Nenhum deles escreveu uma linha sequer sobre as ideias que defendiam. Nós somos totalmente dependentes dos relatos que seus discípulos fizeram sobre deles. Ambos eram mestres em oratória. Dominavam tão bem a arte da retórica, que tanto podiam arrebatar, conquistar, quanto irritar e dividir aqueles que lhes ouviam. Os dois acreditavam falar em nome de algo superior, muito maior que eles. Criticavam todas as formas de injustiça e de abuso, e isso fazia com que os detentores do poder na sociedade se sentissem desafiados. E, finalmente, essa maneira de pensar e de agir custou-lhes a própria vida.

Mais um ponto em comum entre Sócrates e Jesus, é que eles poderiam ter implorado clemência e poupado suas vidas. Entretanto, se assim o fizessem, eles teriam traído suas consciências. Em lugar disso, ambos aceitaram morrer de cabeça erguida e mesmo depois de mortos, continuam amealhando milhares e milhares de seguidores.

Ao estabelecer esse paralelo entre Sócrates e Jesus, o autor não teve a intenção de igualar um ao outro, mas apenas destacar que cada qual tinha uma convicção que não pode ser dissociada de sua determinação pessoal.


"O que os aproxima é a crença de que se deve lutar pelos ideais nos quais se acredita. E isso com toda a coragem e paixão  marcaram a vida de Sócrates e Jesus Cristo."
****************************************
****************************
****************



Flores, brisa, passarinhos cantando, borboletas coloridas, retalhos de nuvens no céu enfeitem esse dia, dos meus amigos que aqui abrilhantaram minha página!
Vocês não são meros leitores/visitantes, mas são, com todos os demais, verdadeiros anjos que moram em um cantinho especial do meu coração!
Muito obrigada por apreciar minha página, por me fazer companhia e por me proporcionar mais alegrias!!!
Beijos!! Beijos!! Beijos!!!!!


om-bomdia24.gif


Maurício de Oliveira

22/06/2015 23:24 - Maurício de Oliveira
Nossa!!! Teria que encerrar minhas leituras de hoje pelo não acaso... Isis estou profundamente feliz pela sua existência, pelo presente que usufrui e o amor que extenua-se além da sua razão... Beijos se puder escreva-me. Boa noite... Parabéns pela marca de 1800 textos.
 
Miguel Carqueija
23/06/2015 00:00 - Miguel Carqueija
Oi, Ísis. Há paralelos sem dúvida, mas com a diferença de que Jesus, sendo Deus, ressuscitou e não está morto. Também Esopo foi morto estupidamente e nem sei se ele escreveu do próprio punho suas fábulas. Muitos séculos depois foi a vez de Joana D'Arc e depois o Tiradentes, brasileiro. Grandes injustiças acompanham a história da humanidade. Mas, nada vencerá a Justiça Divina, que prevalece na outra vida. Fico feliz em vê-la de volta, querida amiga. Beijos.

André Luiz Pinheiro
23/06/2015 00:06 - André Luiz Pinheiro
Muito pertinente o texto! Hoje escrevemos tanto e dizemos tão pouco... Nossas convicções são inseguras... Somente essas duas almas Divinizadas para nos ensinar... Abraços! A.L.P. Quando puder me visite...
 
Lucimar Alves
24/06/2015 16:18 - Lucimar Alves
Ficou muito profunda e intensa a sua reflexão.
 
Mary Jun
25/06/2015 16:24 - Mary Jun
Olá amiga querida. Parabéns, como sempre magistral. Beijos
 
oliveira poeta
25/06/2015 21:16 - oliveira poeta
M A R A V I L H O S O! Você realmente é magistral em tudo que faz! Parabéns minha linda poetisa!

Márcio Melo Martins
26/06/2015 20:16 - Márcio Melo Martins
Lindo demais! perfeita analogia para a mensagem proposta: Lutar pelos ideais. Os poderosos que detém o poder não gostam que as verdades sejam ditas, nem tão pouco que seus "cidadãos" possam ter discernimentos, a massa tem de ser conduzida como rebanhos, quem escapa é perseguido... Deixo aqui minha admiração e reconhecimento a nobre poetisa Ísis Dumont de uma cultura sem igual; forte abraço; Sou mais Brasil!


orkut-hi5-amor_(17).gif
 

 
 

 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont) e Jostein Gaarder
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 22/06/2015
Alterado em 27/06/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras