Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

images?q=tbn:ANd9GcQGLNm8nbIL1QcNulMeZp-cmfcSki6jmNDDNA7QAEJghvNk7FrF9w


Onde Estás?

(Duo)
 
 

tua saudade entra pela janela
pega carona no perfume que exala
da roseira mais cobiçada

 
fluindo e levitando até chegar assim,
tua lembrança me transporta
ao seu lado, em seu roseiral jardim...
 

À essa hora não há beija flor
nem  borboletas
não  há nem jardineiro,
sozinho  está o canteiro
 
Nesta hora, mesmo não enxergando,
há anjos e vagalumes próximos de ti,
protegendo, cuidando, ladeando,
imantando  o verniz da noite
em sereno, senti...
 
Mas há versos que se desenham,
ansiosos  no espaço...
preenchido  pelas lembranças e
a  saudade que só passam
com  o toque
do  teu abraço!
 
Eis-me findando tua saudade,
ora  em derradeiro verso,
Sinta-se comigo, tu minha veleidade,
Minha  dileta poetisa neste universo!

***


images?q=tbn:ANd9GcSnvzi7DQVpLSH9mMR7Fo_tCcxz2dceMImnGVFGti8sPWV5qoEg

Ísis Dumont/Luís Carlos Facuri

frase-a-saudade-e-um-parafuso-que-quando-a-rosca-cai-so-entra-se-for-torcendo-porque-batendo-nao-vai-raul-seixas-113918.jpg


 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont) e Facuri
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 05/04/2015
Alterado em 05/04/2015
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras