Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


Lágrimas do Céu

O CÉU TAMBÉM CHOROU


Em determinado momento o céu recolheu  nuvens cabisbaixas, entristecidas...
Em lágrimas, iriam mesclar de mais tristezas o mundo (já triste) de muitas pessoas.
Chuvas que conseguiram se desprender, ficaram suspensas até segunda ordem.
O vento, solidário, decidiu enroscar-se
e repousar no
sopé da montanha.
Da lua nada se espera...
Escondida está na sombra das estrelas
que também não apareceram.
Um poema incompleto aguarda o verso
que, inconsolável chora pelo restante da
inspiração que não encontrou.
Restando apenas o silêncio sufocado e incompreendido 
pela dor.
********

Ísis Dumont
Hoje, no momento em que a chuva encobriu o firmamento e meu poema tingiu-se de luto pela ausência do sol. Estado melancólico que haverá de passar com a chegada do novo dia. No amor e na fé todas as coisas se farão novas.
Beijossssss de uma "Boa noite"!!!
***********

 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 28/08/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras