Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

perdida.jpg

Alma Perdida

Toda esta noite o rouxinol chorou,
Gemeu, rezou, gritou perdidamente!
Alma de rouxinol, alma da gente,
Tu és, talvez, alguém que se finou!
**********

Sabes bem que minha dor não foi menor,
No dia que me deixaste a tua espera,
Acreditando que voltavas e não vieste.

*************
Tu és, talvez, um sonho que passou,
Que se fundiu na Dor, suavemente…
Talvez sejas a alma, a alma doente
D’alguém que quis amar e nunca amou!
*************

Não sei se és assim um sonho findo.
Porque me desses o céu com as estrelas?
Talvez não sabes amar e só mentiste!
*************

Toda a noite choraste… e eu chorei
Talvez porque, ao ouvir-te, adivinhei
Que ninguém é mais triste do que nós!
****************

Em teus braços fui feliz e acreditei
Que seria para sempre este amor,
Sem pensar em sofrer tamanha dor!
***************

Contaste tanta coisa à noite calma,
Que eu pensei que tu eras a minh’alma
Que chorasse perdida em tua voz!…
**************

Tanta coisa me falaste, com ternura,
Me fazendo acreditar que tu "eras"
Para mim a mais "perfeita" criatura!
****************

Florbela Espanca - 
(Livro de Mágoas)
Ísis Dumont
Aparecida Ramos(Ísis Dumont) e Florbela Espanca
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 11/07/2014
Alterado em 21/07/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras