Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

Foto: Não importa o que pensem de mim... mas...  Às vezes fico pensando sobre as pessoas (dirigentes à frente do poder): Será que aqueles/as que desviam a atenção, são omissos, negam
Não importa o que pensem de mim
(Reeditado)


Às vezes fico pensando sobre as pessoas (dirigentes à frente do poder):
Será que aqueles/as que desviam a atenção, até por questões partidárias, são omissos, humilham, negam "benefícios" de direito, principalmente aos menos favorecidos..
Será que terão o suficiente na hora derradeira? 
Será que mesmo tendo todas as condições (materialmente falando), não pensam que podem morrer de necessidade (fome), dependendo da enfermidade?
Já ouvi relatos de casos dessa natureza.
Talvez, por viverem ébrios pelo poder e suas benesses, nem tenham tempo para pensar nisso! Mas o dia de todos chegará!...
Somos mortais, pobres inquilinos nessa breve e atribulada existência...
Repúdio aos que tratam com descaso, cometem injustiça contra as pessoas do povo, porque se acham donos dos "bens" ou herário público.
Determinadas situações não me permitem calar.
Pouco ou nada importa que eu tenha pensado tanto nas pessoas, tenha trabalhado durante 4 anos, me esforçando o máximo para honrar compromissos não só com aqueles que me confiaram o voto, mas perante toda população, e ainda assim não consegui voltar à Câmara Municipal. De forma nenhuma, esse fato ocorrido em 2012, irá fazer com que eu mude minha maneira de pensar perante à realidade, principalmente quando essa está diretamente relacionada com a população carente... e carente de informação. Pessoas que não conhecem seus direitos, por isso, também desprovidas de coragem e "autonomia" para se defenderem das pisadas das botinas podres que calçam o poder em muitos lugares/recantos desse país.
Um país cuja política se faz com corruptos e corruptores, uma troca vergonhosa, imoral, imunda entre eleitores e políticos. Fazer política nesse país ficou muito difícil, tendo em vista o "vício" do eleitor (a grande maioria) em vender o voto e o dos candidatos, em comprar. Infelizmente, uma grande parcela de homens "públicos" ou pretensos concorrentes a cargos eletivos, agem assim. Tudo fica nebuloso, muito complicado na campanha quando há abuso do poder econômico por parte de muitos, na ânsia de se elegerem, são capazes dos maiores absurdos. E o povo, a grande maioria que se permite "prostituir", fica a "ver navios" quando passam as eleições. Os serviços públicos não funcionam com qualidade e de forma a atender a todos, e o pior: os municípios não se desenvolvem como deveriam. Apenas, em muitos casos mantém-se os serviços "básicos" dos básicos". A população permanece silenciosa ou falando por trás das paredes, individualmente. Muitos deveriam saber que são cúmplices dos descasos e dos desmandos em seus municípios, porque votaram no "pior" em troca de favores. Enquanto os que optaram por alguém que poderia fazer a diferença (para melhor), pagam o mesmo preço, sofrendo as consequências. O poder legislativo, muitas vezes não exerce seu papel de verdadeiros representantes do povo. É lamentável que existam parlamentares que assam a viver sob a "mordaça" do executivo, em troca de algumas benesses ou em nome da "harmonia" entre as bancadas. Não reivindicam, não fiscalizam, não vão à imprensa divulgar os trabalhos (a atuação na "Casa legislativa"). Para muitos que só veem dinheiro e status, é bastante cômodo "viver" assim. E a vida deles melhora muito!!! Enquanto a massa continua na dependência que nunca irá acabar.
É vergonhoso e lamentável, mas há cidades onde nem existe "oposição", e ainda fazem questão de propagar isso em alguns programas radiofônicos. Prevalece o ditado antigo: "Um por todos e todos por um". Isso, na defesa dos próprios interesses e dos seus protegidos: familiares e amigos (cabos eleitorais). E os munícipes... esperem o mandato passar e aproveitem o momento "favorável" para novamente tirar algum proveito dessa prática "suja" que só gera prejuízos consideráveis à sociedade. E assim vamos "fazendo de conta" que somos "felizes", que tudo está bem, que saúde e educação acontecem, que os demais serviços também funcionam, e esse povo "não tem do que reclamar"...

Mas... você, caro leitor recantista, pode estar se perguntando: "E a justiça onde fica? Por que não pune os "culpados"? Ah, meu querido, lembre-se que moramos no Brasil, um país onde muitas leis ficam apenas na teoria. Na justiça há também "máfia", muita coisa deteriorada, podre. Há figuras importantes no "judiciário", inclusive, que mantém laços de "amizade" com pessoas influentes nos municípios, ligadas diretamente ao poder. E... você acha que um cidadão ou até vereador fazendo uma denúncia, esse vai lograr êxito mediante a pessoa de um gestor, por exemplo?
Quem pode oferecer mais?
"A corda sempre quebra do lado mais fraco."

************************************************
Aparecida Ramos

Apenas um texto (Artigo) para não classificar como pensamento.
Ísis Dumont
Enviado por Ísis Dumont em 30/06/2014
Alterado em 03/07/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras