Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos



Uol

A DOR DA DESPEDIDA

Foto   Em carta, filha de cinegrafista morto, diz que teve "despedida mais linda"

A filha do cinegrafista da "TV Bandeirantes" Santiago Andrade, 49, publicou uma carta de despedida em sua página no Facebook nesta segunda-feira (10). No texto, Vanessa Andrade diz que o pai tinha uma tatuagem com o nome da filha no antebraço e que passou a noite no hospital se despedindo.
 
"Deitada em seu ombro, tivemos tempo de conversar sobre muitos assuntos, pedi perdão pelas minhas falhas e prometi seguir de cabeça erguida e cuidar da minha mãe e meus avós. Ele estava quentinho e sereno", escreveu. "Éramos só nós dois, pai e filha, na despedida mais linda que eu poderia ter."
 
O cinegrafista teve morte encefálica diagnosticada na manhã desta segunda, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Santiago foi atingido na cabeça quando registrava o protesto contra o aumento das passagens de ônibus no Rio, na quinta-feira (6). Leia o texto de Vanessa na íntegra:
 
Meu nome é Vanessa Andrade, tenho 29 anos e acabo de perder meu pai.
 
Quando decidi ser jornalista, aos 16, ele quase caiu duro. Disse que era profissão ingrata, salário baixo e muita ralação. Mas eu expliquei: vou usar seu sobrenome. Ele riu e disse: então pode!
 
Quando fiz minha primeira tatuagem, aos 15, achei que ele ia surtar. Mas ele olhou e disse: caramba, filha. Quero fazer também. E me deu de presente meu nome no antebraço.
 
Quando casei, ele ficou tão bêbado, que na hora de eu me despedir pra seguir em lua de mel, ele vomitava e me abraçava ao mesmo tempo.
 
Me ensinou muitos valores. A gente que vem de família humilde precisa provar duas vezes a que veio. Me deixou a vida toda em escola pública porque preferiu trabalhar mais para me pagar a faculdade. Ali o sonho dele se realizava. E o meu começava.
 
Esta noite eu passei no hospital me despedindo. Só eu e ele. Deitada em seu ombro, tivemos tempo de conversar sobre muitos assuntos, pedi perdão pelas minhas falhas e prometi seguir de cabeça erguida e cuidar da minha mãe e meus avós. Ele estava quentinho e sereno. Éramos só nós dois, pai e filha, na despedida mais linda que eu poderia ter. E ele também se despediu.
 
Sei que ele está bem. Claro que está. E eu sou a continuação da vida dele. Um dia meus futuros filhos saberão quem foi Santiago Andrade, o avô deles. Mas eu, somente eu, saberei o orgulho de ter o nome dele na minha identidade.
 
Obrigada, meu Deus. Porque tive a chance de amar e ser amada. Tive todas as alegrias e tristezas de pai e filha. Eu tive um pai. E ele teve uma filha.
 
Obrigada a todos. Ele também agradece.
 
Eu sou Vanessa Andrade, tenho 29 anos e os anjinhos do céu acabam de ganhar um pai.
***********************************************
G1
 
 Triste, emocionante, comovente! 
Como as autoridades foram deixando que o país chegasse a esse "estado de barbárie"?
Quais as responsabilidades que os políticos brasileiros tiveram e tem sobre o que está acontecendo?
O que estão fazendo (os parlamentares) para que se restabeleça a "ordem" sem ferir o direito à livre manifestação?
Como seria bom se tivéssemos respostas (convincentes, concretas) para estas e outras questões.

 
 
 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont), Vanessa Andrade e G1.com
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 13/02/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras