Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


Lingerie preta
 
 
     Na sala, juntos riam, falavam alto, ouviam música, até incomodavam os vizinhos. No terraço as malas prontas aguardavam o amanhecer. De repente, no andar de cima alguém grita pedindo uma garrafa de bebida quente. No final da madrugada portões foram abertos para que os veículos pudessem deixar o local.

      O sol despontara no horizonte.

   Na sala, pouca conversa se ouvia, abafada pelo tilintar dos talheres. Um silêncio inexplicável baixou sobre o ambiente. Na janela do segundo andar vestígios da lingerie preta, comprada para a viagem. Fios de cabelo estavam no assoalho.

    O motorista da família, que era também uma espécie de governante nas horas vagas, sonolento, jogava dominó com outros serviçais.

O sinal toca... é hora de recomeçar.
************************

 

 
 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 05/12/2013
Alterado em 12/02/2018
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras