Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos




Riso de Palhaço
 



Estava a minha espera no portão de entrada. Junto estavam sua mãe e duas tias. 
Há momentos na vida em que temos que "dançar de acordo com a música". Esta é uma frase que todos nós conhecemos, penso.
Encontrei-o a primeira vez há dois anos, durante um almoço na casa de seus avós, em outra cidade. Recém chegado do Rio de Janeiro onde reside com os pais. Nos vimos já na hora em que eu ia embora. Alguém nos apresentou, o cumprimentei e logo me despedi.
Recentemente ele retornou para rever os avós e demais familiares e amigos. Passou apenas 15 dias. Sua saúde exige urgência no tratamento / acompanhamento. Meu Deus, como está diferente! Há dois anos já estava na cadeira de rodas, mas aparentemente estava "normal". Ao reencontrá-lo no último final de semana, fiquei muito triste, pois, ele já não fala mais! Ouve, entende e responde na maioria das vezes com um doce sorriso.
Antes de sair do carro precisei respirar fundo, me fazer de forte  para, em seguida, levemente abraçá-lo mantendo um sorriso para que ele também tivesse mais ânimo e ali, eu não transmitisse nenhuma sensação de tristeza.
Não tem sido nada fácil conviver há sete anos com essa doença degenerativa. Ele era saudável. Desde os vinte anos trabalhava fixo, era organizado economicamente. Filho único, recebe todos os cuidados principalmente da mãe que precisou parar de trabalhar para se dedicar ao mesmo.
Eu fico pensando como nós (seres humanos) não somos nada! E ainda há milhares de pessoas que ignoram essa realidade! Descuidados, por vezes deixamos o orgulho e o egoísmo invadir nosso coração e esquecemos nossa total fragilidade e miserabilidade humana.
Como todos desejariam vê-lo curado! Entretanto, sabemos que só um milagre poderia salvá-lo! Se é desígnio do Alto, só Ele sabe. Quanto a nós somos insignificantes demais para entender determinadas situações. 
E foi com esse "riso de palhaço" que eu o abracei e beijei seus cabelos.  Com o coração doendo e a alma soluçando, durante o tempo em que permaneci ao seu lado tentei passar-lhe um pouco de energia positiva, naquela tarde.
Lamento por não tê-lo encontrado antes, mas agradeço pela oportunidade de poder vê-lo e ainda presentear-lhe com um dos Livros da "Antologia Amor", da qual participei aqui no Recanto.

Peço que Deus abençoe sua vida e das pessoas/anjos(entre esses seus pais) que estão sempre ao seu lado!  


Isis

Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 09/07/2013
Alterado em 10/07/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras