Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


Reze/Ore/Medite! Com ele e por Ele! Pense na dor e na morte das pessoas que carregam a cruz do abandono, da omissão, da injustiça, do descaso, principalmente da falta de amor e compromisso das autoridades desse País!!! Morrem também numa cruz todos aqueles que não são assistidos como deveriam, nos hospitais, nos abrigos e asilos dos recônditos mais distantes do Brasil! Estão morrendo na cruz, crianças, jovens e  adultos vítimas de violência, sem esquecer os que são abandonados pela falta de respeito, de compreensão e de amor de seus familiares e amigos!!!
Que Jesus ressuscitado possa nos fortalecer e aumentar nossa fé para agirmos com amor e justiça para com o nosso próximo!!!
     

 

zpassion_colgado.jpg


Meditação


Meditando o Evangelho do dia

Jo (18, 1 - 19,42)


Ele tomou o vinagre e disse: “Está consumado” E, inclinando a cabeça, entregou o espírito




Hoje celebramos o primeiro dia do Tríduo Pascal. Por tanto é o dia da Cruz vitoriosa, desde donde Jesus nos deixou o melhor de Ele mesmo: Maria como mãe, o perdão —também os verdugos— e a confiança total em Deus Pai.

Escutamos na leitura da Paixão que nos transmite o testemunho de São João, presente no Calvário com Maria, a Mãe do Senhor e as mulheres. É um relato rico em simbologia, onde cada pequeno detalhe tem sentido. Mas também o silêncio e a austeridade da Igreja, hoje nos ajudam a viver num clima de oração, atentos ao dom que celebramos.

Diante deste mistério tão grande, estamos chamados —mais que tudo— a ver. A fé cristã não é a relação reverencial a um Deus que está longe e abstrato que desconhecemos, senão a adesão a uma Pessoa, verdadeiro homem como nós e também verdadeiro Deus. O “Invisível” fez-se carne da nossa carne, e assumiu ser homem até a morte e morte de cruz. Foi uma morte aceitada como resgate por todos, morte redentora, morte que nos dá vida. Aqueles que estavam aí e o viram, nos transmitiram os fatos e ao mesmo tempo, nos descobrem o sentido daquela morte.

Ante isto, sentimo-nos agradecidos e admirados. Conhecemos o preço do amor: «Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos» (Jo 15,13). A oração cristã não é só pedir, senão— e principalmente— admirar agradecidos.

Para nós, Jesus é modelo que temos que imitar, quer dizer, reproduzir em nós as suas atitudes. Temos que ser pessoas que amam até darmo-nos e que confiamos no Pai em toda adversidade.

Isto contrasta com a atmosfera indiferente da nossa sociedade; por isso o nosso testemunho tem que ser mais valente do que nunca, já que o dom é para todos. Como diz Melitão de Sardes, «Ele nos fez passar da escravidão à liberdade, das trevas à luz, da morte à vida. Ele é a Páscoa da nossa salvação». 



Rev. D. Francesc CATARINEU i Vilageliu (Sabadell, Barcelona, Espanha)
Aparecida Ramos(Ísis Dumont) e D. Francesc CATARINEU i Vilageliu
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 29/03/2013
Alterado em 30/03/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras