Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


Razão da Minha Escrita


forma-letra-bem-estar-12733.jpg

 
Um dia, há bastante tempo, vi minha "casa" na posição inversa, parecia que iria mergulhar no centro da terra. Vi o sol nascer no poente e se pôr no lado leste. Observei estrelas desfilando na superfície das águas da lagoa azul turqueza. Vi a lua abraçada, trocando beijos com o sol e caminhando, lentamente no bosque onde mergulho em busca de minhas inspirações. Um dia, vi anoitecer na madrugada e vi amanhecer quando a noite chegou. Quando ainda era criança (bem pequena), observei  a organização e cumplicidade das formigas, abelhas e cupins. Percebi que esses pequeninos animais nos causam inveja,  dão um show de associativismo/cooperativismo em nós - seres humanos "desenvolvidos". Um dia, admirei durante horas, dias e anos, a dedicação, o "saber" dos passarinhos, que havia em minha região, mas principalmente no sítio do meu avô, onde tive a felicidade de conviver durante a minha infância. Lembro que ficava durante horas, embevecida, admirando a variedade das lagartas nas flores e plantações. O colorido das lagartas no pé de jasmim, ao lado da minha casa, era de dar inveja, embora elas me causassem um certo medo (uiiii!!!! rs). E as que devoravam as folhas do cajueiro, eram perigosas, seus pelos  causavam queimadura, quando em contato com a pele.

Z
lagarta de jasmim (atraente, mas "repugnante!")


images?q=tbn:ANd9GcRiTli3EUX5W7cPXsoMMwg8lYPvGZr7cNjR-SuHHokSGt6AnUAb
lagarta de cajueiro (perigosa!!!)


Um dia... vi bem de perto o carinho, a dedicação e amor com os quais os animais tratavam e tratam seus filhotes e pude fazer, ainda sendo criança, uma analogia entre esses e os seres humanos. O resultado disso você já sabe... Observei as relações humanas, os comportamentos das pessoas em minha volta, familiares e vizinhos... Experimentava alegrias e tristezas. Sofria com a dor alheia, ainda sou assim rs. Porque... igual a vocês, não sou uma pessoa "comum". Felizmente, o saldo de tudo isso me rendeu preciosas fatias de felicidade recheadas de alegrias. Por isso, as palavras não cabem dentro de mim e o amor e tantos outros sentimentos pulsam em meu ser. Sou pequena demais para armazenar tamanho "arsenal"... Essas são as maiores e singelas razões da minha escrita!


Gratidão, beijos, carinho, poesia, sorrisos e amor, para você que gosta, lê e acompanha o semeio das minhas palavras/sementes "catadas" (apanhadas) no fundo do silo do meu coração. rsrs  Já em casa, a partir de hoje, retribuindo gentilezas. rs Você nunca viu um texto com tantas imagens! rs Minha foto (16/02/13), sob um sol abrasador, na Estação do trenzinho, indo para o Corcovado (RJ).  Única estação onde me vi sozinha com minha irmã e o Jonas (jovem e simpático funcionário) rs. Saudades!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Isis Dumont
.
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 20/02/2013
Alterado em 03/06/2014
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras