Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

Serenidade - Dona Canô


Z



 
Dois tipos de pessoas que também me atraem são idosos e crianças. Não consigo ver ou passar por perto sem cumprimentar, tocar, afagar os cabelos, abraçar, beijar, elogiar. As crianças, pela pureza, beleza, espontaneidade e sinceridade. Os idosos, pela experiência, tranquilidade, paciência (a maioria) sabedoria e conhecimento da vida (partilhados) ainda quando são analfabetos, como foram meus avós (materno). Eles que foram durante anos em minha infância, meus professores além de meus pais. Percebo que perde muito aqueles, principalmente os jovens que menosprezam pessoas idosas, inclusive muitos em suas próprias casas. Mas o respeito e amor aos idosos a gente aprende na família, ainda quando criança. Faz parte da formação adquirida no seio familiar. E muitos não usufruem dessa preciosidade que precisam para levar pela vida afora.
Não pesquisei nada sobre Dona Canô, mas penso que trata-se de uma mulher muito amada e admirada, não apenas pelos filhos ilustres que possui, mas por sua sensibilidade e caráter. Em seu olhar como na maioria dos idosos que conheci e conheço, eu leio a palavra SERENIDADE. O olhar fixo no além parece ansiar pela viagem inevitável que leva para a verdadeira paz.

Que sua alma descanse em Paz, dona Canô!!!

Isis Dumont
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 25/12/2012
Alterado em 25/12/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras