Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


"Mortos"...Por Ela





Está em todo lugar.
  É tão antiga!...
  Tem a idade do primeiro homem.
Há inúmeros lugares onde ela canta, dança,
fala, rodopia, emudece... e assim ainda fala e fala
alto muito alto... a ponto de ensurdecer
"determinados" ouvidos.
Ela pode "enlouquecer" pessoas que ouvem o
que não gostariam de ouvir ou veem o que
jamais desejariam.
Infelizmente, há lugares onde ela está
adormecida, inativa.
Mas não será por toda vida!
Chegará o dia em que ressurgirá das cinzas,
Ganhará corpo, alma, cérebro,
espírito, coração e voz...
E irá sussurrar,
Falar...
Discursar...
Reivindicar...
Levar os homens a refletir,
E gritará...
Aí... certamente matará a mentira,
A falsidade, a omissão, a incompetência,
A desonestidade e o descompromisso
Daqueles governantes picaretas que não lhe apóiam.
Que tem medo de vê-la, de senti-la ou de ouvi-la.
E se não matar?... Pelo menos jogará uma pá de terra
Em suas caras deslavadas.

Minha Homenagem em poucas e insignificantes palavras, à
ARTE, que é uma ameaça, uma pedra nos sapatos sujos de "alguns" ignorantes!


Isis Dumont

 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 03/11/2012
Alterado em 03/11/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras