Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos


 

Semeando
 
 
Minha vida (como a de qualquer pessoa) é feita de semeadura.
Por onde passei, jamais me esquivei de
Distribuir sementes diversas, porém sadias.
Subi e desci ladeiras caminhando sobre pedras e espinhos.
Na subida, às vezes ia "carregada".
Foi dificil conduzir fardos que iam além das minhas forças.
Pouca idade, frágil e sem saber nada da vida.
Algumas vezes, alguém me auxiliou na subida íngreme.
Em outros momentos, sob tempestades ou sol intenso, recolhi e carreguei sozinha, as pedras que, por não ter forças suficientes, não consegui fazer rolar ladeira abaixo.

Percorri "vales" e "campinas", "montanhas" e "serras", durante os anos de minha infância e juventude.
Espalhei no ar o perfume das flores que cultivei, e que que trazia comigo.

Alimentei passarinhos e insetos com a doçura dos meus dias, ainda que fatigados.
Fiz muitas crianças felizes quando lhes proporcionei afago, encorajei-as quando sentiram medo, quando brinquei (com elas) e lhes contei histórias, às vezes antes de dormir.
Fui mais que companhia quando seus pais estiveram ausentes.
Ensinei-lhes a lição de casa quando os mesmos não sabiam.
Não entendo esse mundo egoísta.
Muitas pessoas são mercenárias.
É tudo por dinheiro.
Não vivi e não aprendi assim!
Hoje, a maior satisfação é a do dever cumprido; é a satisfação de poder admirar com determinado "orgulho", e ao mesmo tempo com humildade, os frutos que germinaram de minha semeadura.
Isso faz de mim uma pessoa realizada e feliz!
Apesar de não ter vivido num “reino encantado”, nunca reclamei dos dias de inverno ou de sol intenso...
Nem das noites plena de escuridão.
Mas aproveitei para tudo observar em minha volta.
Nada deixei  passar desapercebido.
Hoje, também sei que os adultos com os quais convivi, jamais imaginavam que...
Aquela menina de cabelos lisos, franzina, tímida, de pouca fala, e de olhar, às vezes distante e sombrio, um dia, pudesse virar "falastrona", voar, escrever e soprar lá do alto suas palavras pelo mundo.

De vez em quando, ouço alguém (mais velho  e que me viu menina) falar para mim: "Você sempre foi "diferente" das outras".
Talvez por ser "diferente" é que hoje estou aqui.



Sou projeto de Deus, por isso, continuo semeando as "melhores" sementes, pelo menos essa é a minha verdadeira intenção.
Isis Dumont

Texto escrito no último dia 07 de outubro.

 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 09/10/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras