Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos



Paisagem
 
25.jpg


Ousei escalar, sozinha, a montanha do "terror"...
Na bagagem a coragem e o resto das minhas esperanças.
Tentei  visualizar o monte que outr’ora me acolheu.
Por entre as cortinas da tempestade, vi, apenas o ocaso.
 
Livre, despida do mundo, liberei meus pensamentos.
Lembranças remotas ressuscitaram pálidas sombras.
O passado chega a cavalo para fustigar meu coração.
Fantasmas me assustaram. Quase desisti de pensar.
 
Em minha frente, um quadro com figuras indecifráveis.
Pintado com sangue; começa a revelar uma cena de terror.
Senti apoderar-se de mim o pavor, o medo amargo da morte.
Uma atmosfera muito estranha rondava o ambiente.
O vento, deseperado bramia e sacudia as árvores.
Ali, cadáveres trôpegos e maldizentes, surgiram na escuridão.

Isis Dumont
30/05/2012, às 16:55h

Ísis Dumont
Enviado por Ísis Dumont em 30/05/2012
Alterado em 30/05/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras