Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

LOUCURA

loucura-doenca-mental-1.jpg

Certa vez, vi-me repartida sem dores nem ais,
me dei conta de ter enlouquecido
e minha vida virou vendaval
transportando dunas para além do horizonte.
Abriu-se em mim sulcos internos.
O medo e o silêncio me possuíram e
acamparam, fizeram morada no meu eu
como se eu fosse uma redoma.
E eu era feita de bronze dos sinos que
espantam as aves noturnas.
Eu era antes e depois e minha loucura nunca
mais será curada nem tem poder sobre mim,
mas me seguirá...
até que chegue o meu dia.
Isis Dumont
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 14/02/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras