Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos



POEMA NA MADRUGADA

Livro15.jpg
Vivo buscando descobrir
cada vez mais o sabor das palavras,
abasteço-me embriago com elas...
Seu cheiro e sabor inigualáveis me
levam ao delírio!...

A leveza e maciez com que tocam a minha pele me fazem relaxar e voltar a ser criança precisando de colo...

Bebo as palavras degustando cada gole
com se fosse um licor de neve
exalando o sabor da brisa matinal,
embriagando dois apaixonados
numa interminável noite de amor...
em uma festa inexistente.

Respiro as palavras durante o sono e
acordo atônita no meio da madrugada...
E me vejo atracada à cumplicidade
do meu silêncio...

Da minha janela (sem grades)
olho a rua e me ponho a vagar,
e me vejo nua...
Porque muitas palavras
já adormeceram,
e esqueceram...
de alimentar e vestir o meu poema.

ISIS DUMONT
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 08/02/2012
Alterado em 09/02/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras