Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

AO AMOR DA MINHA VIDA


Fada_Bruna.jpg


Meu grande amor, há bastante tempo venho travando uma luta interior, hesito em não escrever sobre os meus sentimentos. Esquivo-me a declarar o meu amor por você. Só depois de muito castigar o meu coração ferido, magoado, após pô-lo à tão angustiante prova é que entendi que não posso e não devo guardar todo esse sentimento apenas para mim. Eu não estaria sendo justa comigo mesma, nem com esse amor tão lindo que nutro por você. É obvio que nunca lerás essa carta ou se leres... nunca saberás quem eu sou, não vais saber jamais que escrevi para ti. Prefiro que seja assim, que continuemos a nos ver de longe, seremos apenas bons amigos. Isso não significa que eu estou tranquila, que sou resignada. Posso até não deixar transparecer, mas por dentro estou morrendo aos poucos por não ter você junto a mim. Sabe, amor, cada vez que te vejo conversando com outra pessoa tenho vontade de desaparecer, mas seria o fim. O melhor mesmo é tentar resistir, nem que para isso eu veja exaurir-se em mim a última gota de esperança.
isis Dumont
Em um dia (não sei qual) da primavera de um ano qualquer... 
Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 02/02/2012
Alterado em 26/05/2013
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras