Ísis Dumont -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos

A CARA DO POEMA

moonlightk.jpg

Meu poema deve ser sensível
feito sonho de criança récem nascida,
livre e transparente feito rio
correndo leito afora,
belo e iluminado igual à luz das estrelas
em noite de verão.
Meu poema deve ser doce e delicioso feito mel,
mas também ardente igual ao sol no deserto,
às vezes, precisa ser frio ou gelado,
mas também corajoso feito o tigre nas savanas,
ou frágil e descansado como  bicho
preguiça na floresta.
   Outras vezes precisa ser ousado, irreverente... Mas também calmo, sossegado igual uma
brisa suave no fim da tarde...

Isis Dumont
Encontrei na gaveta, sem data, sem razão, sem nada...
Imagem do Google.

 

Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 31/01/2012
Alterado em 01/02/2012
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras