Aparecida Ramos -  Prosa e Verso

Apenas palavras que a alma e o coração não calam.

Textos





UMA ALMA EM MUITAS VIDAS
 
 
 
Nunca desejei ser mais do que sou. Ocupar-me do meu "Eu" já é trabalho de mais. Não que eu seja complicada, mas porque gente dá trabalho mesmo. Gosto das coisas organizadas (sem ser perfeccionista). De repente, me surpreendi vivendo outras vidas. Sou uma vivendo muitas. Não estava nos meus planos, nem na lista das minhas aspirações. Meus ideais de vida eram outros. Mas vivo essa "façanha" de ser... Talvez o destino, o acaso ( nem sei se existem) não sei bem definir, me levaram a isso. Gradativamente. Igual a metamorfose da borboleta. Vida normal, feliz, mas requisitada e preenchida. Impregnados em minha alma igual carimbo estão muitos apelos, reclames, muitas mãos, prantos e dores, muitos olhares, bocas e necessidades, mas também festas e boas risadas. Sei que sou parte importante (sem querer ser melhor). Sei também que faço falta em muitas salas, em muitos ouvidos, em muitos abraços, e irei continuar assim. A natureza expediu-me um decreto: não posso ser mais... Entretanto, não deixou de contemplar-me com a possibilidade de ser como sou: muitas em apenas uma. Continuarei sendo esse empilhado de recortes rebuscados. Não sou obra de arte que se possa apreciar numa breve visita apenas, nem à meia luz. Se desejar, venha, mas lembre de ligar antes para agendar. Sou igual à galeria de arte, portanto, tenho horário para funcionar. O tempo não espera. A vida por mais que pareça longa é breve, passageira, efêmera. Apenas nos lança os desafios. Dá suas cartadas. Quem quiser... aproveite.


Aparecida Ramos(Ísis Dumont)
Enviado por Aparecida Ramos(Ísis Dumont) em 11/12/2011
Alterado em 08/02/2012
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras